Grêmio se impõe na Arena e vence o Inter por 2 a 0 no clássico 422

O Gre-Nal 422 mostrou a vitória de um time superior e com trabalho contínuo contra uma equipe desestabilizada tática, técnica e emocionalmente. Com gols de Geromel e de Rômulo, o Grêmio bateu o Inter por 2 a 0, manteve-se na quinta colocação e segue à caça do São Paulo quarto colocado no Brasileirão — com grandes chances de obter a vaga direta à Libertadores. Já o Inter perdeu a posição para o Athletico, ficou em sétimo e está quatro pontos atrás do Grêmio. Marcelo Lomba, expulso por uma tresloucada voadora no atacante Luciano, fez com que o Inter atuasse quase todo o segundo tempo com um jogador a menos.
Escalado de maneira ousada, como se novos tempos tivessem chegado ao clube, o Inter começou o clássico atacando. Parade, Neilton e Wellington Silva estavam em campo, com D’Alessandro e Patrick no banco. Com 15 segundo, chegou na área de Paulo Victor. O Inter ofensivo, porém, também dava generosos espaços para o ataque gremista. E, a partir do segundo minuto do clássico, o Grêmio foi ao ataque. Nos primeiros movimentos, o caminho foi em cima de Parede e de Bruno — o substituto de Zeca, que sofreu uma lesão no treino fechado de sábado, e que ficará três semanas fora de ação.
Não demorou para a primeira contenda do Gre-Nal 422: Moledo, como se fosse um goleiro, saltou para afastar uma bola e acertou com o joelho o peito de Matheus Henrique. Empurra-empurra, ânimos exaltados, mas o árbitro nada marcou.
Foi através de Galhardo a primeira boa conclusão do clássico. Primeiro, o lateral cobrou falta na barreira. No rebote, ele mesmo recuperou a bola e bateu com força, mas Marcelo Lomba fez boa defesa. O Grêmio seguia mais arisco no ataque, enquanto que a ousadia ofensiva colorada já não conseguia passar muito além do meio-campo.
O meio-campo do Grêmio mandava no clássico. À frente de Lomba, Moledo passava a se destacar, pelo alto e por baixo. Em dos raros ataques do Inter, Maicon recebeu o primeiro cartão amarelo do clássico, por falta em Guerrero. Em seguida, amarelo compensatório para Edenilson, por falta em Tardelli. Ainda nesse ataque, o Grêmio teria uma grande chance, quando Galhardo entrou às costas de Uendel, mas o lateral cruzou para Cuesta, matando a jogada.
O Grêmio começou a ganhar o clássico pelos lados. Parede, escalado para ser o auxiliar de Bruno, fez falta em Cortez. Alisson cruzou para a área, na cabeça de Geromel, que saltou à frente de Lindoso e de Moledo, cabeceando sem chances para Marcelo Lomba.
Com o 1 a 0, e a torcida inflamada, o Grêmio passou a se aproveitar da pressa colorada — e das jogadas erradas. Everton caiu para a direita, onde Uendel estava desprotegido. Um detalhe sobre a fragilidade ofensiva do Inter. Aos 38 minutos, o goleiro Paulo Victor fez a sua primeira intervenção no clássico, ao aparar um cruzamento de Neilton, que passou em branco por Guerrero. O Inter voltou á carga graças a Galhardo, que furou em bola e permitiu que Wellington Silva fosse área adentro, mas o lateral conseguiu se recuperar e evitar uma lance mais contundente. O primeiro tempo chegou ao final com a vitória parcial do Grêmio, e com o plano tático de Zé Ricardo indo por água abaixo. A ideia de escalar contra o Grêmio a mesma formação ofensiva que bateu o Bahia, não funcionou na Arena.
D’Alessandro foi a campo no segundo tempo. Ainda no vestiário, substituiu Neilton — de presença nula em campo. Pois, nos segundos iniciais, tudo igual. Edenilson entregou um contra-ataque, o Grêmio avançou desde a defesa. O lance culminou com Everton batendo com violência e com Lomba sendo salvo pela trave.
Aos cinco minutos, o retrato do desespero colorado. Luciano foi lançado, em impedimento, mas a jogada seguiu porque assim a Fifa determina. Ato contínuo, Luciano tenta driblar Marcelo Lomba, que consegue afastar para fora da área. Os dois sabem atrás da bola, o gremista chega na frente, e o goleiro lhe aplica uma surreal voadora nas pernas do atacante. Um lance dantesco, ainda mais partindo do pacato Lomba. Foi expulso na hora.
O Grêmio já dominava o clássico e recebeu o jogo de bandeja do Inter quando ficou com um jogador a mais em campo. Se o ataque colorado não funcionou desde o começo da partida, com 10 em campo, o Gre-Nal se transformou em um monólogo em azul.
O Grêmio teve a chance de ampliar com Matheus Henrique em uma pancada defendida por Danilo, e no rebote, com Tardelli, mas Moledo salvou, desviando a escanteio. O monólogo prosseguiu aos 32 minutos. Tardelli lançou Pepê, que encontrou Rômulo na entrada da área. O improvável goleador bateu por cobertura, Danilo chegou a tocar na bola, mas ela acertou o travessão e caiu dentro do gol.
Com o 2 a 0 e um jogador a mais em campo, restava ao Grêmio esperar o apito final, ou transformar a vitória em goleada. Desperdiçou pelo menos mais duas boas chances, enquanto os seus jogadores ouviam das arquibancadas da Arena o grito de “olé”.
O último Gre-Nal do ano confirmou a superioridade do Grêmio sobre o Inter em 2019. Nos cinco clássicos do ano, duas vitórias gremistas e três empates, além do título estadual em azul, preto e branco.

Fonte: Gaúcha ZH

voltar
© Copyright 2019